Thursday, March 31, 2016

Vancouver, Love It or Hate It

Acho que existem outras questões além da chuva conforme o link para o artigo. Não conheço outras cidades no Canadá portanto não posso dizer muito a respeito. How do you feel about it?

der doppelgänger

Jennifer Fox: Goodbye Vancouver, you should go and love yourself

I’ve been involved in an abusive relationship for the past eight years and I’m finally breaking free.
I fell in love with Vancouver back in the 1990s, when it was a city of SkullSkates and hippies. I moved here in 2009 before the glass-condo boom had really taken off.

Since then I’ve had lots of good reasons to break up with the city I once loved — precarious work, low wages, unaffordable housing, the city’s terrible dating scene and social isolation. But then again, it’s not uncommon for the abused to ignore the signs. We struggle until we can’t struggle anymore. And then we move.

Yes, I’m breaking up with you Vancouver and moving back to the east coast.

I feel exactly like Justin Bieber, “My mama don’t like you and she likes everyone. And I never like to admit that I was wrong. I’ve been so caught up in my job, I didn’t see what’s going on.”

True. I’ve been caught up in my job and believing that if I just worked a little harder things would get easier.

It’s time to admit that I was wrong. I have three university degrees, exceptional experience and a broad skill set, yet I’ve had to make do with five different contract positions over eight years.

Sure, I managed to pay rent on a 380-square-foot apartment and eat takeout sushi once in while, but I definitely haven’t saved for retirement or been able to afford to give birth yet. I’ve spent most of my 30s on the west coast (land of economic opportunities?) while I watched my friends on the east coast (with less education than me) buy four-bedroom houses and multiple cars.

Sure, they shovel snow, but they also run across the street to borrow sugar from the neighbours. They trade gardening tips with the elders living next door. Their children play in the backyard. They are happy and connected.

In Vancouver I’m lucky to get a hello in an elevator.

You’ve disappointed a lot of people, Vancouver, and the smart ones have already left. There has been a net loss of 25- to 44-year-olds from Vancouver in recent years — more than 1,000 of those folks every year since 2012.

Meanwhile, the poor ones can’t afford to leave — 31.5 per cent of single adults in Vancouver are living in poverty.

And the ones like me? Expect a Dear John letter from them soon, too, because they’re barely hanging on. Even high-profile tech companies like Hootsuite can no longer recruit qualified people.
So, goodbye, Vancouver. You have lost a politically engaged citizen and a Big Sisters volunteer. You have lost a social-justice advocate and a caring neighbour.

I’m leaving because I can’t afford to live here anymore. I can’t afford to pay rent and utilities that increase every year when my salary does not. I can’t afford to wait 23 years — the average time it takes to save for a down payment — for a home in this city.
I can’t afford to delay having children any longer. I can’t afford the time it takes me to commute or the extreme effort it takes to make friends in a city of growing isolation and disconnection.

And no, it’s not me. It’s you.

Your people and politicians have failed me. You can throw some blame on your older brother, the province, too.

All provincial parties have remained silent on plans to fix the broken housing market. B.C. now has the lowest minimum wage and highest child poverty rates in the country. That really makes those braggy “The Best Place on Earth” licence plates come alive!

But you’ve got lots to be proud of, after all. B.C.’s economy outpaced all other provinces this year. And with house prices accelerating 24.5 per cent last year, congratulations Vancouver, you are now the top-performing luxury real estate market in the world.

I can tell you’re delighted. You look in the mirror, fix your beautiful hair and call yourself one of the “most livable cities” on the planet — maybe even “The Greenest City.”

But those of us who are leaving know the truth. And in the wise words of the Biebs, “If you like the way you look that much, maybe you should go and love yourself.”

Jennifer Fox is a founding member of the Association for Generational Equity and co-ordinates Generation Squeeze social media activities at gensqueeze.ca. She’s moving to Halifax.

Tuesday, December 1, 2015

Modelo de Procuração

Atendendo a pedidos, segue uma cópia editada da minha procuração. Ela me serviu muito bem nos últimos 5 anos possibilitando a venda do meu imóvel, todas as operações de câmbio relativas à venda e retificação de códigos de DARF perante a Receita sem que eu tivesse que retornar ao Brasil. A procuração pode ser emitida nos consulados e não necessariamente nos cartórios. Caso mais que um procurador seja designado, eles podem agir independentemente ou em conjunto. Claro que outros cenários podem ser adicionados ao modelo dependendo de cada caso individual. Apenas um disclaimer, fique a vontade para  copiar o texto como modelo, mas não assumirei qualquer responsabilidade sobre problemas quanto ao seu uso. Enjoy.

der doppelgänger





Tuesday, November 10, 2015

HSBC - Global View and Global Transfer

Segue um update (e uma boa notícia) em relação ao descontinuamento dos serviços de Global View  e Global Transfer do HSBC Brasil.

"A partir de 24/11, para realizar suas transferências para o exterior você deverá acessar o Internet banking em um novo local.
Os serviços Global View e Global Transfer serão descontinuados, e não será mais possível fazer agendamentos, transferências, ou visualizar o saldo de suas contas no exterior por este canal.
Pensando em sua comodidade, estamos garantindo a mesma facilidade da internet, bem como as mesmas taxas e tarifas do global transfer. Mantivemos também o mesmo limite operacional, ou seja, US$ 10 mil dólares por dia, limitado a US$ 15 mil dólares por mês. E os recebimentos no valor de até US$ 3mil dólares serão convertidos e creditados automaticamente em sua conta no Brasil.
Devo considerar também que por uma questão operacional o prazo para a conversão das transações passa a ser 2 dias úteis e não mais no mesmo dia.
Caso tenha necessidade de verificar o saldo em sua conta internacional ou efetuar transações, entre em contato com o HSBC no país de origem da sua conta ou ligue para o Premier Phone HSBC (0800-7283966) >; opção 5 >; opção 3 "

Ou seja, o serviço ainda existe só que por um outro canal. Vou perguntar como fica a questão da aquisição do HSBC Brasil pelo Bradesco e depois posto a resposta.

der doppelgänger

Tuesday, September 22, 2015

Brazucas no Mundo



[Updated 16/Nov/15] Achei esse outro agregador: Galera do Processo


Alguém sabe o que aconteceu com o agregador de blogs, Brazucas no Mundo? Já faz mais de um mês que ele "morreu".....

http://brazucasnomundo.com.br/

Der Doppelgänger


Monday, April 28, 2014

CNN's What Happened to Brazil

Claro que tirar 40 milhões da pobreza não é pouca coisa. Mas a chance de se criar fundações sólidas a longo prazo com investimentos em educação foi trocada por um populismo imediato e corrupto. Não quero me gabar de uma situação triste mas vejam o meu primeiro post do blog em 2008. Não precisa ser muito visionário, não é verdade? No pain, no gain....E digo novamente: toda unanimidade é absolutamente burra!


And now what?

Original link to CNN's article, here
der doppelgänger

Wednesday, June 20, 2012

Vancouver - To Do

Photo credit: http://www.vancouverfilm.net/

Para quem está em Vancouver e quer dicas de coisas para se fazer.

Pulse 604
Bored In Vancouver

O Bored In Vancouver é bem engraçado. Vale a pena checar os dois. Adicionei os blogs ao Blogroll.

der doppelgänger

Monday, April 30, 2012

Vancouver City - This is My Home, My Place


Segue o famoso post de um ano de Canadá. Ao invés de um post longo, vou apenas repetir um post antigo  que reflete bem o que eu e minha família hoje sentimos com a decisão que foi tomada em uma noite paulistana calorenta em Novembro de 2008, quando tudo parecia nebuloso e incerto. Ver de onde saímos, o que foi conquistado até agora e aguardar com paz de espírito o que o futuro nos reserva.

Agora apague as luzes, coloque o volume bem alto, selecione full screen e enjoy!

Oh, Providence you brought me here
I need you to embrace and hold me tight
Through days and nights Oh, memories
I am on a quest to find myself and precious love
Walking down your magic streets
Meeting twilight at the Bay
I feel like I belong in here
I breathe new hope you gave my life
Vancouver City

Oh, Providence you guide me through
I’ll face the trials while I’m seeking You
Through days and nights Oh, loneliness
Don’t touch my heart and mind
Don’t touch my heart and mind
Taking skytrain to the Quay
Walking under starlight dome
I feel like I belong in here
I breathe new hope. You’ve become my home
Vancouver City.
Vancouver City

der doppelgänger

Credits:
lyrics by: Serge Chubinsky Orlov
produced by: Serge Chubinsky Orlov
additional programming, mixed and mastered by: Igor Maximenko
vocals by: Linda Ganzini
© 2009 Serge Chubinsky Orlov www.innerlifeproject.com

Sunday, April 29, 2012

Pequeno Guia da Declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física, Comunicação de Saída Definitiva do País e Declaração de Saída Definitiva do País e Outras Cositas Mas

Saí do Brasil em 2011 e tinha muitas dúvidas sobre como iria fazer minha Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF) em 2012 estando no Canadá. Ví inúmeros posts sobre o assunto mas todos eles  superficiais ou incompletos. Compartilho aqui a minha experiência e o que passei para caracterizar a minha saída definitiva do Brasil. Use as informações abaixo como referência mas lembre-se que as regras podem mudar a qualquer momento e a situação de cada um pode fazer com que determinadas regras sejam aplicáveis ou não.

1) Quem sai do país definitivamente, deve ter em mente cinco coisas:
  • Comunicação de Saída Definitiva do País (CSDP) para a Receita Federal
    • Caracteriza a data efetiva de saída do país.
    • Rendimentos recebidos antes dessa data devem ser declarados na Declaração de Saída Definitiva do País (DSDP) para cálculo de imposto devido a pagar ou restituição
    • Rendimentos recebidos após essa data devem ter os impostos pagos através de DARF Simples e código de receita específico de não-residente
  • Declaração de Saída Definitiva do País (DSDP) para a Receita Federal
    • É a última Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física que o imigrante deve fazer no ano subsequente à saída do país
    • Depois disso, não se deve fazer mais declarações anuais
  • Carta de Saída Definitiva do País para instituições que recolhem imposto na fonte
    • Se voce espera um rendimento onde o imposto será recolhido na fonte depois da data da saída definitiva do país, envie essa carta para a instituição pagadora com a data onde foi caracterizada a saída do país. Explico mais abaixo a importância disso.
    • Um exemplo onde a carta se aplica. Vamos supor que voce deixou um plano de previdência no Brasil. Essa instituição deve receber essa carta para que no momento do saque, a alíquota e código de receita de não-residente possa ser aplicado ao pagamento do imposto devido.
    • [EDITADO 3/Agosto/2015 Vide item 7, conta CDE para outros tipos de rendimentos e aplicações]
  • Procuração pública para que alguém possa te representar perante a Receita Federal (e outras entidades)
    • A procuração deve ser pública e de plenos poderes
    • A procuração deve ser em seu nome e da esposa, para quem é casado em comunhão de bens
    • O cartório possui os textos apropriados para inclusão na procuração
    • A mesma procuração pode ser não só para a Receita Federal mas também para bancos (para movimentação de contas), registros de imóveis (para venda de imóveis), etc.
    • Economiza-se tempo de ter que ir pessoalmente a um consulado no exterior para fazer a tal procuração
    • [EDITADO 8/Dezembro/2015 Segue link para post com modelo da procuração.]
  • e-CPF para acesso ao e-CAC no site da Receita Federal:
    • Com o e-CPF voce tem acesso às declarações antigas, pode consultar pendências fiscais, etc.
    • Como o acesso é seguro, voce tem acesso a mais serviços e informações do que normalmente teria
    • O e-CPF deve ser adquirido em entidades certificadoras no Brasil. [EDITADO 18/Feb/2014] Creio que a renovação possa ser feita remotamente. A renovação do eCPF pode ser feita remotamente apenas uma vez. Depois disso voce tem que comprar um outro e a validação é presencial.
    • Novamente, o e-CPF economiza tempo e dinheiro (e dores de cabeça)

2) Minha situação em 2011:
  • Fiz o landing no Canadá em Jan/2011.
  • Recebi salário no Brasil entre Jan/2011 até Mar/2011
  • Viajei definitivamente para o Canadá em Abr/2011
  • Em Abr/2011, meus bens no Brasil eram:
    • Um apartamento alugado (quitado)
    • Algum dinheiro em uma conta no HSBC
    • Plano de previdência privada de um antigo empregador

3) Providências tomadas:
  • Enviei a Carta de Saída Definitiva aos bancos e entidade de previdência privada [Editado 3/Agosto/2015 Vide item 7, conta CDE para outros tipos de rendimentos e aplicações]
  • Consegui o e-CPF para mim e para minha esposa
  • Eu e minha esposa fizemos a procuração de plenos poderes para pessoas de confiança no Brasil
  • Comunicação de Saída Definitiva do País (CSDP)
    • Deve ser entregue até o último dia útil do mês de Abril do ano-calendário subsequente ao da saída definitiva ou da caracterização da condição de não-residente
    • Pela regra acima, saí em 2011, portanto o último dia da entrega da CSDP seria 30/Abril/2012
    • Caracterizei a data de saída em Abr/2011, o dia que viajei para o Canadá
    • A minha esposa (ou quem na família tem CPF) também fez parte da CSDP
    • Deve-se apontar um procurador no Brasil perante a Receita Federal
    • A partir da data da caracterização da saída do país, qualquer rendimento deve ter os seus impostos pagos através de DARF Simples e código de receita específico de não-residente. [EDITADO 3/Agosto/2015 Vide item 7, conta CDE para outros tipos de rendimentos e aplicações]
  • Declaração de Saída Definitiva do País (DSDP)
    • Segue o mesmo modelo da DIRPF, com algumas diferenças tais como endereço no exterior, nome do procurador, data da saída declarada na CSDP, datas e CPF de saída dos dependentes. O restante da declaração e as alíquotas são idênticas a da DIRPF
    • Deve-se entregar a DSDP até o último dia útil do mês de Abril do ano-calendário subsequente ao da saída definitiva ou da caracterização da condição de não-residente, ou seja, deve-se observar o mesmo calendário da DIRPF
    • Será a última declaração de Imposto de Renda que voce irá entregar
    • Deve cobrir os rendimentos recebidos no país até a data da CSDP
    • Demonstrativos de renda:
      • Tive que conseguir o demonstrativo de rendimentos do meu empregador referentes aos salários de 2011
      • Já tinha em mãos os valores referentes à recisão empregatícia
      • Baixei o demonstrativo de rendimentos do HSBC diretamente no site.
      • Fechei uma conta no Itaú em 2011 antes de vir. Esse demonstrativo eu não consegui do site pois não tinha mais acesso e não pedi no banco.
    • Transmite-se a DSDP igual a DIRPF guardando-se o recibo da mesma forma

4) Imposto devido sobre rendimentos, após a data da saída definitiva (aluguel, por exemplo)[EDITADO em 18/Feb/2014] Calculei o valor do imposto a pagar via programa Carnê-Leão do site da Receita Federal O valor as ser pago no DARF é 15% flat. Mais infos no link e na seção de comentários.
  • Fiz os pagamentos dos impostos no mês subsequente ao recebimento do aluguel via DARF Simples
  • É importante colocar o Código de Receita correto. Existem códigos específicos para não-residentes, como já disse acima. Seguem alguns exemplos abaixo:
    • 9478 - ALUGUEL E ARRENDAMENTO - RESIDENTES NO EXTERIOR
    • 0422 - ROYALTIES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA - RESIDENTES EXTERIOR
    • 9453 - JUROS SOBRE O CAPITAL PRÓPRIO - RESIDENTES NO EXTERIOR
    • 0481 - JUROS E COMISSÕES EM GERAL - RESIDENTES NO EXTERIOR
    • 9412 - FRETES INTERNACIONAIS - RESIDENTES NO EXTERIOR
  • O meu problema foi que estava pagando os DARFs usando o código de receita 0190 - Carnê-Leão, quando deveria estar utilizando o código 9478.
  • Ao utilizar o código 0190 nos DARFs após a data de saída definitiva, para a Receita Federal isso significa que eu 'voltei para o Brasil', sendo portanto passível de entrega de DIRPF em 2012-2013 (Nooooooooooooo!!!!)
  • Tive que fazer a Retificação de DARF (REDARF) para corrigir o código da receita em todos os DARFs onde utilizei o código 0190 para o código 9478. Tive que preencher os formulários e pedir para o meu procurador ir até um posto de atendimento da Receita Federal.
  • Como entreguei a Carta de Saída Definitiva para a instituição de previdência, caso venha a sacar o dinheiro, eles devem fazer o recolhimento de imposto na fonte utilizando um código específico de não-residente, caso contrário 'volto para o Brasil' e tenho que entregar DIRPF no ano subsequente. [EDITADO 3/Agosto/2015 Vide item 7, conta CDE para outros tipos de rendimentos e aplicações]
[EDITADO 04/Maio/2013]
5) E o meu CPF? Ele será cancelado?
  • O CPF não é cancelado após a entrega da CSDP e DSDP
  • Ele fica apenas registrado como não-residente na base de dados da Receita Federal
[EDITADO 03/Agosto/2015]
6) Informações sobre Conta CDE (Conta de Domiciliado no Exterior)
  • Quando a DSD é entregue à RFB, em tese (ênfase na palavra tese), o contribuinte deve informar/formalizar a condição de não residente aos bancos onde  tem conta. E a conta então deve, em tese, ser transformada em conta CDE com várias restrições, a seguir:
  • Seguem algumas das características/restrições da conta CDE passadas pela minha gerente no HSBC:
    • Não poderá apresentar saldo devedor
    • É vedada a concessão de qualquer linha de crédito
    • É vedada a concessão de cartões de crédito
    • Cheques não serão disponibilizados
    • É vedada através da CDE: (i) applicações em Bolsa, Tesouro Direto, fundos de investimento, LCI e LCAs (ii) negociação de ativos financeiroe e valores mobiliários
    • A partir do dia 30/Março/15, poderão ser realizadas somente CDB e depósitos em poupança
    • Clientes que até o dia 30/Março/15 que possuiam investimentos diferentes de CDB e poupança, poderão mantê-los mas estarão bloqueados para novos aportes e re-investimentos. O cliente a seu exclusivo critério poderá optar pelo resgate e investimento em CDB ou poupança, ou aguardar o vencimento regular de tal investimento.
    • Previdência privada PGBL e VGBL estão fora do escopo e são produtos permitidos para contas CDE
    • Todas as transferências de recursos são formalizadas através de contratos de câmbio.
    • É obrigatória a constituição de um procurador, caso o titular da conta encontre-se no exterior
  • Recentemente eu vendi o meu imóvel no Brasil e tive que enviar a minha DSD para a mesa de câmbio para efetuar a transferência dos fundos para o Canadá. Foi nesse momento que fui informado que a minha conta deve ser transformada para CDE antes da efetivação do contrato de câmbio.
  • Antes que alguém pergunte, algumas informações acerca do imposto devido sobre ganho de capital para não-residente no Brasil:
    • Cálculo do imposto: 
      • 15% sobre o ganho de capital (valor de venda menos valor na escritura atual) para países onde existe acordo de tributação vigente
      • 25% sobre o ganho de capital para países onde não existe acordo de tributação vigente
    • Os fatores de redução do valor do ganho de capital, FR1 e FR2, não são aplicáveis para quem é residente no exterior (faça dois DARFs via programa GCAP, um com o endereço no Brasil e outro no exterior para comparar)
    • O imposto devido deve ser retido pelo adquirente do imóvel e pago via DARF imediatamente após a compra (e não ao final do mês seguinte à venda por quem vendeu o imóvel, como comumente é feito) sob o código 0473
  • Eu vinha utilizando minha conta Premier normalmente até então, principalmente a função de Global Transfer, que é muito conveniente para transferir pequenos valores (aluguel, etc.). Isso porque o HSBC não havia sido 'formalmente' notificado da minha situação de não-residente.
  • A partir de agora, qualquer transferência deverá ser feita através de contrato de câmbio.
  • Com a questão do fechamento do HSBC no Brasil, eu creio que essa questão do Global Transfer acaba por ser irrelevante a partir de agora.
  • Não sei se a função de internet banking também é limitada ou não, vou fazer um novo post sobre o assunto em breve assim que a minha conta for convertida para CDE
  • Em função dessa questão da conta CDE e o fechamento do HSBC no Brasil, eu devo montar um outro post com quais providências o novo imigrante deve tomar, antes de sair do Brasil.
[EDITADO 03/Agosto/2015]
7) Mais informações....

Não tenho a pretensão de ser uma autoridade nesse assunto. Quero apenas ajudar o leitor a situar-se sobre as complexidades e detalhes envolvidos dentro do contexto da minha experiência pessoal. Os comentários postados nesse post (mais de 100 em Jul/15) darão outras interpretações sobre o assunto (entregar a DSD ao banco ou não, etc). Vale a pena consultar.

Bem, essa foi a minha saga junto à Receita Federal do Brasil. A partir de agora só tenho que prestar atenção nos códigos de receita nos DARFs pois senão fiscalmente eu volto para o Brasil, que é a última coisa que quero na vida (pessoalmente ou fiscalmente). 

O meu próximo post será sobre o meu tax filing aqui no Canadá e aventuras com a Canada Revenue Agency (CRA).

der doppelgänger

Thursday, April 19, 2012

Cross-Border Shopping in B.C.


The 2012 federal budget contained some good news for cross-border shoppers as they will soon be allowed to bring back more goods tax-free.
So what are the cross-border rule changes from the 2012 Budget?

Here is a breakdown of the new cross border exemptions for Canadians visiting the U.S:

  • U.S. visits less than 24 hours: the rules remain unchanged.
  • 24 to 48 hours: If you travel to the U.S. for more than 24 hours but less than 48 hours, you will be able to bring back $200 worth of tax-exempt goods. The previous limit was $50.
  • More than 48 hours: If you're out of the country for more than 48 hours, your limit is now $800. Previously, travellers who were out of Canada from 48 hours to seven days were allowed to bring back $400 worth of goods. Travellers gone more than a week could bring back $750.
  • What about alcohol and tobacco? Limits for alcohol and tobacco remain unchanged
  • When do the new rules go into effect? The new limits will go into effect June 1, 2012.

Link to the original article here.

Além das dicas acima, segue a minha experiência fazendo compras em Seattle.

  • Para entrar nos EUA voce precisa de visto americano ou passaporte participante do Visa Waiver Program. Além disso voce precisa do form I-94 (para quem tem visto), I-94W (para quem tem passaporte participante do VWP), taxa de 24 dólares (para quem passa de carro), customs form, fingerprinting e pictures para a família toda. Por causa de tudo isso, não dá para fazer isso no guichê tipo pedágio. Voce tem que descer do carro e passar pelo processo acima de dentro do prédio anexo.
  • Quem é já cidadão canadense e tem enhanced driver's license ou Nexus card, o processo é mais rápido e voce faz tudo de dentro do carro direto nos guichês tipo pedágio
  • Para quem tem passaporte participante do VWP, o ESTA não serve para quem cruza o border via land. ESTA serve só para quem viaja de avião [EDITADO 29/Abr/2014] O ESTA sim funciona para land crossings para portadores de passaportes participantes do VWP. Isso evita ter que ficar preenchendo papelada na mão na fronteira.
  • Ao fazer as compras, guarde todos os receipts organizadamente. Voce vai precisar apresentá-los na alfândega canadense durante a volta caso solicitado. Isso economiza tempo e potencialmente evita um poker face de quem está simplesmente guessing o valor das compras para o border official, o que aumenta as chances de ser pulled para um detailed inspection e ser flagged toda vez que cruzar a fronteira
  • Na ida, recomendo parar na alfândega canadense e declarar laptops e eletrônicos antes de entrar nos EUA, para que isso não entre na sua cota na volta
  • Os principais locais onde fiz compras foram o Seattle Premium Outlets e Burlington Coat Factory em Edmonds, WA.
  • Não se esqueça de que para voltar para o Canadá voce precisa do seu PR card e passaporte canadense (ou enhanced driver's license para quem é cidadão)
  • Em suma, lembre-se que voce terá que fazer dois processos de imigração e alfândegas. Um na entrada nos EUA e outro na volta para o Canadá. Tenha toda a documentação em mãos e não carregue frutas frescas, flores, alimentos in natura, etc.

Valeu a pena? Valeu e muito. Compramos qualidade por preços muito menores que retail e com menos taxes comparado ao Canadá.

der doppelgänger

Monday, April 2, 2012

Mudanças no Processo Federal - Applicants Before Feb/2008

Mudanças no Processo Federal trazem más notícias para quem se aplicou antes de 27/Fevereiro/2008 e não teve decisão tomada até 29/Março/2012.

News Release – Government of Canada transforms economic immigration program

Ottawa, March 30, 2012 — To create a fast and flexible immigration system that creates jobs and promotes Canada’s long term prosperity, the Government of Canada will eliminate the backlog in the main federal economic immigration program.
“The Federal Skilled Worker Program backlog is a major roadblock to Canada’s ability to respond to rapidly changing labour market needs,” said Citizenship, Immigration and Multiculturalism Minister Jason Kenney. “Having to process applications that are as many as eight years out of date reduces our ability to focus on new applicants with skills and talents that our economy needs today.”
As announced in Economic Action Plan 2012, Citizenship and Immigration Canada is planning to refund fees and return stale applications from nearly all those applicants who applied under the dated criteria in existence before February 27, 2008.
....
Under proposed legislation, CIC will close the files of FSW applicants who applied before February 27, 2008, and for whom an immigration officer has not made a decision based on selection criteria by March 29, 2012. This is expected to affect around 280,000 applicants, including their dependants. CIC will begin the process of returning the full amount of fees paid to the Department by these affected FSW applicants. For those who have passed the selection criteria stage – approximately 20,000 people – CIC will continue processing their applications until they are approved for entry into Canada or not.
....

Não me agora surpreende o passo tomado pelo governo Canadense após as medidas tomadas em 2008 pois tudo parece parte de um plano único pensado lá desde o começo. Fiquei triste em pensar que ainda tem gente no processo aguardando uma decisão e que terão os seus sonhos destruídos.

Alguém aí foi afetado pela decisão? Postem comentários.

Retornar o dinheiro do application não é nada comparado ao tempo e esforços investidos durante o tempo do processo. Isso infelizmente, o governo Canadense não retorna.

der doppelgänger

Wednesday, January 18, 2012

Frio?

Para quem anda reclamando do frio....Isso sim que é frio, Kemosabe...
Link para o site WX Extreme.
Link para a localidade de Igloolik

der doppelgänger

Tuesday, January 17, 2012

Winter Tires + Tire Rack

No meu último post eu falei sobre winter tires. Acabei comprando um set de 4 Michelin X-Ice2 + steel rims através de um anúncio no Craigslist por 50% do preço que pagaria por um set novo. Fiquei meio receoso de comprar pneus usados, mas depois de conversar com o dono e verificar minunciosamente o estado dos pneus eu achei que valia a pena correr o risco. Eu mesmo fiz a troca e com isso economizei mais uns $80. Os pneus ainda tem 80% de vida útil e os rims precisarão de uma demão de spray preto para tirar uns riscos para ficarem como novos (Só na primavera ou verão pois agora está muito frio). Ainda não tinha nenhum sinal de neve ou gelo aqui pelos lados de North Van quando fiz a compra mas agora com o frio e neve recentes, a compra está valendo a pena.

Porém com a compra surgiu um outro problema. O que fazer com os pneus originais? Estavam ocupando lugar no chão e não era o melhor lugar para armazená-los anyway.

Pesquisando as opções disponíveis no mercado (Google), o mais fácil seria esse tire rack vendido no Canadian Tire por $129.99+tax. Mas achei o preço salgado e não gostei dos reviews.

Achei esse outro aqui, DIY-style o que sairia mais barato mas ia requerer comprar algumas ferramentas que estava planejando em comprar só mais lá na frente. A grande questão seria as minhas habilidades inatas em marcenaria (not!). Decidi que ainda não era momento de me aventurar por esse caminho.

A solução final foi esse tire rack aqui que encontrei na Lee Valley Tools através do site RedFlagDeals.com por míseros $39.00+tax. O único problema é que o produto está como sold out no site. Não contente com a situação, resolvi que ia ligar lá e perguntar por um produto similar. Para a minha surpresa, informaram que tinham o produto em estoque apesar do que dizia o anúncio e melho, pelo preço anunciado. Pedi para reservar um e fui lá na 1180 Southeast Marine Drive buscá-lo.

A loja da Lee Valley Tools merece um capítulo a parte. Ela tem engenhocas, ferramentas e traquitanas interessantíssimas principalmente para trabalho em madeira e jardinagem. Tanto a Rona quanto a Home Depot se propõe a vender de tudo em termos produtos similares, mas na Lee Valley voce tem ferramentas especializadas Aliás, não vou fazer um post sobre a Lee Valley Tools. Vá lá pessoalmente e confira pois vale a pena.

Depois de pegar o tire rack, voltei para casa para fazer a instalação na minha garagem. Com um bom stud finder, nível, trena e uma driver drill Makita, fiz a instalação em 1 hora. O resultado é esse aí da foto abaixo:
O rack é bem construído e firme. Claro que existe uma diferença em colocar buchas em uma parede de tijolos e em studs de madeira. A madeira flexiona um pouco com o peso e por isso fiquei com um pouco de receio tipo "será que vai aguentar"? Mas é só colocar os parafusos no bem no meio dos studs que não tem erro.

der doppelgänger

Friday, December 16, 2011

Winter Tires in Vancouver



Estava num dilema muito grande quanto à compra de winter tires para o meu carro. O investimento é significativo e queria pesar todos os prós e contras da decisão. Ainda mais aqui para Vancouver onde existe uma controvérsia em se usar ou não winter pois o inverno aqui não é tão severo quanto das outras regiões do Canadá e todos dizem que o all-seasons é suficiente. A decisão que cheguei é que sim vou comprar winter tires para o meu carro pelos motivos abaixo:

  • Não tenho experiência/habilidade em dirigir na neve
  • Se o gasto de $400-$600 no winter tire me salvar de um acidente apenas, já valeu a pena o investimento
  • Se daqui de Vancouver voce vai para Whistler, Cypress Mountain ou Mt Seymour ao menos uma vez, voce com certeza irá se beneficiar com o uso do winter tire. E isso reforça o motivo anterior
  • O winter tire pode ser usado por vários invernos, desde que corretamente armazenados, ou seja, é um investimento inicial que será 'amortizado' durante vários anos
  • Quando voce usa o winter tire, o all-seasons ou summer tire está guardado e não está sendo usado e isso tem que ser computado no 'gasto total'
der doppelgänger